Linha 11-Coral da CPTM: novos trens começam a operar em São Paulo

A linha é a mais movimentada da CPTM, com cerca de 700 mil passageiros transportados por dia útil

novo-trem-linha-11-sobretrilhosDois novos trens do lote de 65 começaram a circular na linha 11 Coral da CPTM, no serviço Expresso Leste (Luz-Guaianases), na última terça-feira (20) a partir das 10h da manhã. A informação foi divulgada pelo portal R7, e a entrega dá continuidade ao processo de padronização da frota da CPTM. Com os novos trens já são 34 unidades em operação.

“Estamos entregando hoje mais dois trens zero quilômetro, cada trem com oito carros, ou seja, são 16 carros para a Linha 7 da CPTM, e a semana que vem mais dois trens. Então, em 14 dias serão quatro trens novos, 32 carros novos, zero quilômetro, com ar-condicionado, melhor motorização e vagão contínuo”, disse o governador Geraldo Alckmin após a viagem de inspeção que fez em novo trecho da Linha 15 do Metrô. A previsão é que as 31 unidades restantes entrem em operação até o final de 2018.

A Linha 11-Coral é a mais movimentada da CPTM, com cerca de 700 mil passageiros transportados por dia útil. O trecho mais carregado é entre as estações da Luz e Guaianazes, onde opera o Expresso Leste, transportando em média 500 mil usuários/dia útil. O trecho tem 24,2 km e conta agora com 15 novos trens. A extensão de Guaianazes a Estudantes é de 26,6 km e são transportados cerca de 200 mil passageiros transportados/dia útil.

Com salão contínuo de passageiros, que permite circulação livre entre os carros, os trens possuem monitoramento com câmeras na parte externa e interna e são acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência (contam com sinalização visual para identificação de assentos preferenciais, mapa dinâmico e áudio, além de espaço para cadeirantes).

Também dispõem de monitores digitais internos com informações e interação das principais notícias sobre a prestação de serviços, além de reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria. Os demais trens serão entregues ao longo dos próximos meses e entrarão em operação, após a realização de testes que são feitos nos sistemas elétricos, mecânicos e de sinalização. Dependendo das necessidades de ajustes que surgirem e do tempo de solução por parte do fabricante, os testes podem ser prolongados.

*artigo originalmente publicado pelo R7 em 21/02/2018 – foto: Alexandre Carvalho